20 de abril de 2010

CRONICA DA SEMANA na SABADO EXCESSO DE INTIMIDADE




Esta semana resolvi excrever sobre algo que vitima muitos casais...

Sempre me preocupou o excesso de intimidade entre os casais... bem sei o quanto a intimidade é importante, pois sim, mas tudo o que é de mais, é demasiado.


Acho que falta, a muitas pessoas, preservar determinadas coisas que só interessam a si.


Quando estamos no início dos relacionamentos existem coisas que não questionamos, porque estamos apaixonados e aquela pessoa parece sempre perfeita, sempre tão atraente e desejável.


Mas, quando passamos a partilhar o mesmo espaço, a descobrir determinadas coisas, pode ser assustador e existem mesmo situações em que o excesso de intimidade pode ser um veneno para a nossa química relacional. Vejamos por exemplo, o uso e partilha da casa de banho: muitos casais, adoptam um á-vontade tal, que parece que voltámos àquele tempo em que, em crianças, tínhamos os nossos pais como espectadores das nossas poses no bacio.


Alguém me explica o sentido de estar sentado na retrete de revista na mão enquanto o companheiro(a) faz a barba, ou toma duche?


Alguém pode achar atractivo que o(a) parceiro(a) saque à sua frente daqueles aparelhos que tiram os pêlos de todos os orifícios do corpo, pêlos que nós quase nem imaginávamos que existissem? Alguém poderá achar interessante ver a companheira com as pernas cheias de creme depilatório e rolos na cabeça?


Existem coisas que são do nosso espaço e que são nossas, que apenas deviam existir por detrás de uma porta fechada para não corrermos o risco da química se perder.


Claro que todos sabemos, que existem pêlos em determinados sítios e que são retirados para não serem encontrados; todos sabemos que existem tampões, pensos higiénicos e necessidades fisiológicas... mas daí a vê-los, ouvi-los e cheirá-los vai uma grande distância...


Importam-se de oferecer as vossos amigos que vão viver juntos pela primeira vez, aquela coisa fantástica que se coloca na porta e avisa: -Não incomodar se faz favor? Garantidamente não imaginam o bem que lhes fará, porque eles até podiam viver sem ela, mas não era a mesma coisa....


TODAS AS SEMANAS, TERÇAS, AQUI

2 comentários:

ShortOkapi disse...

Lamento discordar, Vânia.

Conhecer melhor a pessoa que amo faz-me gostar ainda mais dela. Sempre, estou convencido. Saber que tenho acesso a uma intimidade que poucos mais conhecem dá-me confiança e, indirectamente, dá-me pica.

O filme Good Will Hunting (O bom rebelde) tem uma cena memorável, que começa com o psiquiatra (Robin Williams) do protagonista (Matt Damon) a confessar-lhe "My wife used to fart in her sleep", e termina com "This girl you met, she isn't perfect either. But the question is whether or not you're perfect for each other. That's the whole deal, that's what intimacy is all about."

Eu não acho que as pessoas tenham de ser perfeitas para alguém, mas concordo plenamente que «a intimidade é isso mesmo» que o psiquiatra diz um pouco antes: "We get to choose who we let into our weird little worlds".

Anônimo disse...

Confesso que me fez alguma confusao ver uma sexologa,meste em sexologia "criticar" o excesso de intimidade...

Na minha casa ja ha 14 anos que ha "excesso de intimidade" e no que a mim diz respeito ira continuar... conhecer todas os defeitos e virtudes..nao ter qualquer problema em mostrar toda e qualquer intimidade!! Havera melhor que isto? Nao.. nao ha..
è todo o segredo para que na cama as coisas uncionem bem e com dialogo...

Quando se ama nao ha excesso de intimidade....

prof3ssorasusana@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...